Notícias

Crescimento do consumo do Rádio e Televisão é tema de evento da ACAERT

49498236546_08a1642101_k
49498235716_93b76fc5bd_k
49497742683_f9f788a74a_k
49498237651_06b792c423_k
49498239361_ab79c61f2c_k
49498241511_f756530eda_k
49497751118_59a6ec3662_k
49498247411_5ca4183335_k
49498242326_2ca06809f7_k
49498240116_8c73964237_k
49498476047_00b6aa0397_k
49497754213_4c6cecf7c6_k
49497754998_5495e8e4a7_k
49498478437_94b12ba175_k
49497756498_a03e93f6fe_k
49498479582_f7cd6f1bc7_k
navigate_before
navigate_next

 

A Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão – ACAERT promoveu nesta quinta-feira (06), no auditório do Centro Empresarial de Blumenau, a primeira etapa do road show “Vamos Pensar Grande”. O evento, que reuniu radiodifusores, anunciantes, publicitários, jornalistas, radialistas e acadêmicos, faz parte do “Pense Grande: Pense Rádio, Pense TV”, o maior movimento de valorização das duas mídias, lançado no final do ano passado pela entidade.

Presentes os ex-presidentes da ACAERT, Evelásio Paulo Vieira, Carlos Alberto Ross e Rubens Olbrisch, além do vice-presidente Jurídico e Ético, Humberto Ohf de Andrade e do vice-presidente Regional, Evelásio Vieira Neto.

Um dos assuntos debatidos foi o crescimento do consumo do Rádio e da Televisão no Brasil e especificamente em Santa Catarina. “Os números mostram que as pessoas estão consumando cada vez mais o Rádio e a Televisão. É o hábito, é o que emociona, o dia a dia. A pessoa pode até ter um serviço de streaming de rádio, por exemplo. Mas ela também vai se informar no dial do carro sobre o trânsito. É o consumo de conteúdo”, destacou Tais Souza, gerente Regional da Kantar Ibope Media, uma das palestrantes do evento.

Foi consenso do road show que esse crescimento de consumo ocorre tanto na área editorial como no setor comercial.  Para Mariane Clarice Hasckel, do Marketing da Cooper, cooperativa que anuncia há mais de 20 anos no Rádio e na TV, “mesmo com as mudanças que estamos vivendo, com o avanço da internet, nós, anunciantes, entendemos que o Rádio e a TV são mídias que nos dão credibilidade. A convergência de todos os meios é o que fortalece a marca e faz com que a empresa seja lembrada”.

Na mesma linha, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Blumenau, – Acib, Avelino Lombardi, enfatizou a abrangência das duas mídias.  “O Rádio e a Televisão são de fundamental importância para divulgar os nossos projetos, a nossa economia, a qualidade do nosso trabalho. O Rádio e a Televisão são meios de comunicação de massa, o que faz com que a nossas empresas cheguem aos clientes”.

O mesmo resultado é identificado pela CDL de Blumenau ao apostar no investimento em mídia no Rádio e na Televisão. “A comunicação no Rádio e na Televisão tem o poder de alavancar todas as ações da CDL, levando a informação mais assertiva tanto para o associado como para o consumidor. De uns tempos para cá, a CDL conseguiu se organizar para investir em mídia no Rádio e na Televisão e os resultados são o fortalecimento do nosso trabalho”, explicou Karin Bendheim, da área de Comunicação da entidade.

Já a publicitária e professora da UniSOCIESC, Denise Maria Sapelli, aposta na força da mídia regional. “Eu tenho a percepção do fortalecimento regional dos veículos. Essa proximidade com o público, ouvir o comunicador, o saber quem é, conhecer essa realidade local têm facilitado essa força dos veículos na região”.

Para Fernando Morgado, especialista em Rádio e TV, que foi o outro palestrante do road show, o Rádio e a Televisão têm um universo de oportunidades que precisam ser identificadas e aproveitadas. “O Rádio e Televisão sempre tiveram a capacidade de se renovarem e gerarem resultados importantes paras os anunciantes, agências e a sociedade em geral”. De acordo com Morgado, “existe uma relação de complementariedade que o Rádio e a TV têm com a internet e com tudo o que a internet abarca.  Como os dispositivos digitais, e também com o smartphone, smart tv, etc”.

“Alguns dizem que uma mídia mata outra. Isso não é verdade. Uma mídia aprende com a outra, mas não anula. O caso do Rádio e a TV é exemplar. As duas mídias encontraram seus caminhos. O rádio é simples e isso é uma baita qualidade. O rádio não morre porque é simples. Ele é simples na forma de produzir como também de consumir”, completou.

FEVEREIRO

Dia 06 – Blumenau (09h na CEB) (realizado)

Dia 07 – Joinville  (09h na ACIJ) (realizado)

MARÇO

– Chapecó – Dia 05

– Lages – Dia 06

– Florianópolis – Dia 20

– Criciúma – a confirmar

 

Fonte: Acaert