Notícias

Portal especializado aponta que a promoção de podcasts pelo rádio pode ser determinante para o crescimento dessa nova plataforma

Uma matéria especial do Inside Radio, portal norte-americano voltado ao mercado de rádio, afirma que “A promoção de podcasts pelo rádio pode ser fator X no crescimento do meio”. Essa análise parte da forte movimentação que grupos como iHeartMedia e Entercom fizeram na área de podcasts, agregando produtoras desse tipo de conteúdo às suas operações. Na visão do site, o podcast é um grande negócio para o rádio e o formato tem uma chance de ampliar o seu consumo com a divulgação desses conteúdos nas estações de rádio FM e AM.

Segundo a reportagem, os podcasts tem um público cativo e considerável, mas ainda não chega a volumes de massa. E isso pode ser alterado com a movimentação feita pelos grupos de rádios nos Estados Unidos. “Às vezes nós brincamos e dizemos ‘há pouquíssimos fãs de podcasting, na verdade existem apenas superfãs’. O que isso significa é que, se você ouvir podcasts, ouvirá muitos podcasts”, diz Conal Byrne, presidente da iHeartMedia Podcast Network, ao portal norte-americano Inside Radio.

Segundo a matéria do Inside Radio, “os superfãs são uma parte do plano de marketing da empresa ao introduzir novos podcasts ou novas temporadas de programas estabelecidos. O outro são as 850 estações de rádio e mais de um quarto de bilhão de ouvintes mensais aos quais a empresa tem acesso”, destaca o conteúdo.

“Você quer em primeiro lugar falar com as pessoas que gostam do meio”, explica Byrne. “Quando lançamos um novo programa – digamos, um programa de negócios -, usaremos todos os podcasts que temos nesse gênero, ou apenas vagamente relacionados ao contexto, e publicaremos um anúncio nesses podcasts e promoveremos o programa”, destaca o executivo.

Segundo o Inside Radio, a iHeartMedia já está colhendo os benefícios da promoção estratégica com sua rede de podcasts. “Estamos tentando muitas coisas diferentes e, no final das contas, o que queremos é que os downloads do programa cresçam”, explica Byrne. No caso de Disgraceland, “o programa gerou cerca de 300.000 a 400.000 downloads por mês. Lançamos a nova temporada dentro da iHeartPodcast Network, puxamos todas as alavancas e o show foi para 2,2 milhões de downloads, mês a mês. Não foi um crescimento gradual; foi literalmente mês a mês. Quando vimos o gráfico, ficamos tipo, uau, essas coisas realmente funcionam”, comemora o executivo.

O que impulsiona a adoção de podcasts pelas rádios?

Toda essa movimentação está de olho na verba publicitária que é direcionada aos podcast. Conforme destacado anteriormente pelo tudoradio.com, o IAB apontou que publicidade em Podcast pode superar a marca de US$500 milhões em 2019 e US$ 1 bilhão até 2021 nos Estados Unidos segundo o relatório Podcast Revenue Report.

Trata-se de um mercado rentável que pode competir no digital com o streaming de vídeo e outras plataformas, considerando que é observado um fluxo de audiência entre o vídeo e o áudio no on-line. E, segundo levantamentos recentes da Nielsen, há uma verificação de que o público que consome podcast tem o mesmo perfil daquele que consome rádio, ou seja, são plataformas complementares e que se conversam.

Recentemente, Bob Pittman, CEO da iHeartMedia, afirmou que o formato áudio está em alta e é “uma necessidade para os profissionais de marketing que buscam atingir públicos cada vez mais esquivos e fraturados”. “Se você olhar os dados, é inegável que os consumidores estão ouvindo mais e observando menos, e este estudo descreve quando, onde e por quê”, diz Pittman.

“Ao contrário de algumas percepções equivocadas, isso mostra que estamos vivendo em um primeiro mundo de áudio, explorando uma visão geral mais granular da escuta de áudio e mostrando como é um dia na vida do ouvinte comum quando se trata de consumo de mídia”, afirma o CEO da iHeartMedia.

 

Fonte: TudoRádio